Key Note Oscar Dieste

¿É possível construir conhecimento geral, Empiricamente-Apoiado em Engenharia de Software?

A aplicação do empirismo à Engenharia de Software (IS) traz a possibilidade de obter conhecimento comparável com o conhecimento produzido em outras disciplinas de engenharia. Uma grande parte da comunidade de pesquisa tem abraçado esta metodologia. Obtivemos uma grande quantidade de resultados, principalmente artigos de pesquisa, até agora. No entanto, temos sido incapazes de generalização dos resultados particulares em pedaços de conhecimento, ou teorias que têm valores preditivos em mais ou menos contextos genéricos.
Quais poderiam ser as razões que restringem nossa capacidade de construir conhecimento geral, empiricamente, apoiado na IS? Algumas dificuldades acidentais são bem conhecidos: os jovens (relativa) de empírico é, a escassez de repetições, e a validade externa limitado de estudos realizados utilizando os alunos como sujeitos experimentais. Devemos ter tempo suficiente, crie uma estrutura de recompensa adequada para que os pesquisadores estão convencidos de replicar, e obter os profissionais e empresas envolvidas na investigação, então seremos capazes de construir conhecimentos gerais.
No entanto, agora, eu não sou tão certo de que isso é completamente verdade. Longe de minha intenção do início de um debate epistemológico em É. Simplificando, tenho observado que existem muitas outras dificuldades acidentais, que interagem em conjunto para dar origem a obstáculos impressionantes que merecem o nome de dificuldades essenciais. O problema central é a nossa incapacidade de avaliar de forma precisa razoável os efeitos de contexto. Tendo ilimitadas tempo / recursos à nossa disposição, é teoricamente possível determinar a influência do contexto; na prática, os recursos são limitados e os efeitos de contexto permanecem incertas.
Gostaria de saber se a abordagem correta é o contrário, ou seja .: iniciar a pesquisa com uma tecnologia promissora (/ fenômeno) de carácter aparentemente geral. Por exemplo, poderíamos começar a pesquisa utilizando os alunos, e mais tarde tentar estabelecer a sua utilidade (/ verdade) em contextos particulares, mantendo longe de pretensões de generalidade. Esta reflexão não é totalmente meu original. SOU. Davis & A. Hickey y R. Wieringa expressaram opiniões semelhantes, embora a partir de diferentes instalações (deles teórica, a mina das trincheiras).
Palavras-chave: Empirismo, teoria, replicação, estudantes, profissionais, indústria, experiência, estudo de caso, a síntese, meta-análise, o contexto